Uma forma legalizada de preconceito

Cotas. A tão e famosa cotas novamente é motivo de revolta pra mim.
Sabe pra quanto foi a porcentagem de cotas nas universidades? Não sabe? Eu mesmo te respondo: 50%

Meu ano de vestibular.

Porque uma pessoa que tem a pigmentação da pele diferente da minha não tem a mesma capacidade que eu? Cientificamente não existe nada comprovado que um negro é menos capaz que um branco.

“Ah, é uma dívida histórica que o governo tem com os negros”.

As universidades foram criadas para ensinar ou para reparar injustiças histórias? E porque eu tenho que me prejudicar por causa dessa dívida histórica?

Concordo que os negros sempre foram considerados uma raça inferior a nós, brancos, mas o nosso país não tem leis que proíbam de um negro exercer seus direitos de cidadão, ao contrário do que acontece em outros países. Além do mais quem está sendo beneficiado não são os negros que foram escravizados, que deram suas vidas em prol desse país, pelo contrário, é um grupo de pessoas que sofrem, ou não, de racismo por sua diferença racial.

“Aumentar o número de negros com diploma superior seria um passo para o fim da discriminação”.

Na verdade o que as cotas representam é uma forma de preconceito legalizado, elas ditam que um negro é menos capaz que um branco. Engraçado é que tem negros que concordam camufladamente com isso.

Se foram criadas as cotas para diminuir o preconceito contra essa raça, então deveriam criar cotas para loiras, baixinhos, gordinhos e muçulmanos, já que todos são motivos de chacotas para os outros.

Em relação a cotas que envolve ensino público, o que tenho a dizer é que não se cuida de uma árvore com praga depois que ela cresce e sim quando ela está crescendo, em outras palavras, não se melhor a educação no ensino superior, mas sim nas creches.

Criaram as cotas para mostrar aos outros países que o Brasil tem um ensino público bom, já que tem boa parte dos alunos em universidades, mas nem todos sabem a safadeza que foi criada para que isso acontecesse.

22 comentários:

Thales Rafael disse...

"As universidades foram criadas para ensinar ou para reparar injustiças histórias?"

Bom, a minha resposta para essa pergunta é a seguinte: as duas coisas. Mais: ensino com qualidade é uma forma de fomentar nas novas gerações a vontade de reparar injustiças. Logo, uma coisa leva à outra.

Sei que as cotas são abomináveis para muitos, mas o meu depoimento e de muitos pode ajudar. Estudo na UFF, em NIterói e o quadro é alarmante. Antes eu era contra as cotas, mas ao ingressar na faculdade uma coisa que me causou muito desespero foi a ausência quase completa de negros. É raro ver algum em sala ou no campus. Mas é extremamente comum vê-los fazendo serviços burocráticos em coordenações e departamentos por salários miseráveis. E a universidade deve, sem qualquer tipo de restrição, representar a sociedade. E sabemos que a disparidade entre o número de negros no ensino superior e no geral é alarmante.

Entretanto, ainda não sou um árduo defensor das cotas. Concordo quando você diz que elas são uma forma de preconceito. Só que utilizar esse argumento em nada melhora a vida dos milhares de excluídos da educação. Portanto, defendo as cotas como uma política de curto e médio prazo junto com a reestruturação do ensino fundamental e médio. Caso esperemos pela reformulação do ensino de base para que os negros comecem a estudar podemos chegar a um quadro irreversível de dominação social e miséria. O certo mesmo são cotas sociais. Quem ganha menos tem vantagens a ingressar na faculdade. Podem me chamar de preconceituoso e tudo mais, só que um estudante da Zona Sul tem muito mais chances do que um estudande da Baixada - salvo algumas exceções, óbvio. Isso sim é uma política válida.

Quanto a questão do prejuízo para um e outro que perderão vagas para as cotas não há o que discutir. Isso só nasce do individualismo exacerbado a que nossa sociedade nos condena. Cada um só pensa no próprio umbigo e a sociedade que se f***. O que no fundo é um grande retrocesso. Oferecer educação a todos é garantir que pelo menos, em tese, todos teremos direito a expor nossas reivindicações na esfera pública e debatê-la de modo correto. Enquanto isso, o vestibular continua sendo a malha fina. Tem gente que não deveria nem ter se formado e culpa as cotas pela perda de vaga. Isso não existe. O esforço próprio de cada um é o que leva ao ensino superior. A concorrência é a máxima da sociedade em que vivemos e não são as cotas que vão tornar o cenário ainda mais desolador.

Ingrid Silva disse...

Oiee...me ajuda a produzir meu banner?

Daniel Maia Silveira disse...

Olá Ananda!

Eu compartilho da sua indignação, mas acho que a cota de 50% ainda está em tramitando no congresso nacional. Felizmente ainda não é definitivo.

Eu sou a favor da igualdade de oportunidades para educação, mas sou totalmente contra a criação de cotas.

Na minha humilde concepção a cota não cria igualdade, ela cria abismo. A igualdade de oportunidades na educação se faz com um forte ensino básico, fundamental e médio.

O sistema de cotas é um remendo mal feito para tampar o sol com a peneira: a educação no nosso país é uma piada!

Resultados na área de educação só surgem depois de 20 anos, não é da noite para o dia como estão tentando fazer.

Espero, honestamente, que esse projeto não passe. Não é com atitudes paternalistas como essa que toda a sacanagem feita contra os negros vai ser resolvida.

Fernando Serra disse...

Oi minha parceira...

Não sei se minha opinião é consentida por alguém.. mas...

Na minha humilde opinião, não deveriam existir cotas pra nada, mas sim, deveriam ter mais invesstimentos na área da educação principalmente no nível de 1º e 2º graus para todos.

Não é difícil escutar alguém falando que a pessoa que passa no vestibular é porque estudou em escola particular. Isso é FATO!!!

A escola pública hoje em dia não prepara ninguém para o vestibular ou para a vida, e a quantidade de pessoas que passam no vestibular tendo estudado em escola pública são raras.

É histórica a diferença entre negros e brancos frente à diferença financeira. No passado do Brasil, após a Lei Áurea, os brancos continuaram os mais ricos e os negros são os pobres... Isso extende-se até hoje! Não é à toa que é raro também ver um menino negro estudando em escola particular.

Ou seja, quem estuda em escola particular (geralmente os brancos e ricos), tomam as vagas das Universidades públicas, que (seguindo essa linha de raciocínio) deveriam ser exclusivamente para quem não tem poder aquisitivo alto.

Ou seja, se a pessoa pode estudar a vida inteira em escola particular, porque não paga uma faculdade particular também??

Já as pessoas de escola pública, além de não ter uma educação adequada, necessitam estudar muito mais pra conseguir uma vaga...

Os Negros tem capacidade de passar no vestibular sem cotas sim, mas infelizmente, o governo não investe na educação, o que não prepara a pessoa pra essa prova de fogo...

Enfim... O sistema de cotas é uma maquiagem pra esconder a falta de compromisso do governo frente a educação dos historicamente desfarorecidos monetariamente!!!

Se não deu pra entender o que eu quis dizer... a gente conversa na boa num debate...

Beijos...
_____________________________________
Visite: http://opinenoblog.blogspot.com

Nilson Vellazquez disse...

Eu sonho com um mundo em que a gente não precise de cotas, mas, atualmente nós precisamos. Claro, de forma paliativa, diminuir as desigualdes que só não vê quem é cego. A grande maioria da população de baixa renda é de negros, pessoas que não tiveram a oportunidade de estudar em grandes escolas ou cursinhos. A Universidade tem que ser para o povo, se nós obstacularizarmos o acesso da população às Universidade públicas no nosso país, estaremos mantendo as coisas como estão. O único medo que eu tenho, e é por isso que entendo sua postagem, é que isso permaneça eternamente, e que o que era pra ser uma medida paliativa transforme-se numa prática insolúvel na vida dos nossos estudantes. Para isso proponho: fim do vestibular!

Daí como seria? Eu não sei, não tenho fórmulas prontas, mas tenho certeza que não dá pra ser do jeito que tá...

Beijos!

Kazuki-Kun disse...

Devido a um problema no servidor onde a imagem do banner da Animesubers estava tivemos que trocar a imagem, por favor atualize nos parceiros.
O link está disponivel no blog na caixa Link-Me
Obrigado.
http://animesubers.blogspot.com

Moça do Fio disse...

Concordo plenamente com você. Não é a cor da pele que determina o grau de inteligência de alguém. E o problema é que o Brasil é um país de imediatismos, onde os governantes buscam saídas rápidas (e não eficazes) para problemas crônicos, como a Educação. Eles não sabem investir em algo a longo prazo, que só dê resultado depois de décadas. E quem sofre com isso somos nós. Que vemos alunos despreparados estudando numa Universidade e que quando terminar o curso, ficarão à margem na sociedade. Pois ingressaram nela não por mérito, mas devido a uma política vergonhosa e que visa camuflar o que deve ser corrigido: que é a educação de base.

Beijo.

mADAME F. disse...

Isso já não se tem nem mais o que discutir. É uma palhaçada.

Alegar que reduz o preconceito essas porcarias... Elas é que acabam dividindo as pessoas! O que tem que se melhorar são esses contrastes, não tentar reconhecê-los.

Eles nem existem! ¬¬'




MEU: http://espelhoinverso.blogspot.com/

EU E UMA AMIGA: http://carpetebicolor.blogspot.com/

Nathália Monte ;D disse...

essa historia de cotas me revolta..
um jornalista me disse um dia que ela é preciso pra tentar diminuir a desigualdade..

pra mim ta eh ampliando a desigualdade! um absurdo..
beijO //adorei o tema.

Léo disse...

Ahhh Nanda se eu pudesse ficar do seu lado quando essa cabeça funciona ia descobrir seu segredo

Educação e não exclusão, somos todoos filhos de uma patria suja e podre, o que me revolta é dizer que o homem branco é melhor que o homem negro e vice versa.

Cor da pele foda-se, todo mundo é igual.

beijos Nanda

Léo disse...

ahhhhhhhhhhhhh se vc não for no meu blog vc vai ver

Maria Karolina disse...

Concordo com você!
Isso é puro preconceito disfarçado!!!
Cor de pele não é sinônimo de que alguém é melhor ou pior! O que importa é o carater e a força de vontade que uma pessoa tem!

Diego? Glommer? disse...

Olha...

Estudo numa universidade pública e tenho amigos ligados a movimentos estudantis de apoio aos afro-descendentes.

Sinceramente é um assunto que me divide. Já fui contrário, defensor, hoje sou de uma posição intermediária.
A respeito dessa questão da dívida história, muitos dizem: "Ah, mas isso não tem nada a ver. Pois, os negros que sofreram realmente nem mais aqui estão".
O que acho é que existem na verdade resquícios preconceituosos daqueles tempos. O negro ainda é visto de uma forma discriminatória. Pense um pouco, lembre-se das piadinhas infames, dos comentários e de tudo aquilo que simplesmente pensamos e é extremamente preconceituoso. Mesmo que digamos que não somos assim.
O pior tipo de preconceito pra mim é esse: aquele que é "velado". Que não se manifesta escancaradamente é colocado debaixo do pano por falsos slogans tais como "o Brasil é um país onde não existe preconceito e blá, blá, blá".

Nesse sentido creio que as cotas seriam uma medida interessante a curto prazo. Pois possibilitariam sim a ascensão de grupos que não tem a mesma qualidade para lutar por uma vaga na universidade.

Pense só nos fatos: a maioria da população brasileira é negra. A maioria dos ricos são brancos. E a maioria dos negros são pobres. Existe muita contradição aí... E isso tem que mudar.

Evidentemente ainda os negros pela condição social de sua maioria não têm as mesmas condições para concorrer nos vestibulares, assim como as demais pessoas pobres de nosso país. Creio que isto é bastante injusto.

Não tenho números mas posso dizer algumas coisas: a maioria dos ricos está na universidade pública e a grande parte dos pobres está nas instituições privadas. Que bizarro, não? Porque é o pobre que tem que pagar para estar na universidade? Se o rico tem condições de bancar o ensino privado então porque não estão lá. O fato é que as instituições privadas são em sua maioria sucateadas e incapazes de prover um ensino de verdadeira qualidade. E os donos só querem lucros. Mais alunos e qualidades que se f)8@.

Porém creio que as cotas não devam ser "eternas". Acho que devem ser acompanhadas de medidas eficazes e que façam com que a educação básica de nosso país seja de verdadeira qualidade. Que alunos egressos de escolas públicas e particulares tenham condições de competir em pé de igualdade.

No mais, sou mais favorável a cotas sociais que raciais. Até porque esses critérios de raça são a coisa mais batida e imbecil que existe. E também não acredito nos defensores da "meritocracia". Para mim isso é só um discurso "capetalista" que quer dizer algo como: "você faz o que quiser. Está em pé de igualdade com qualquer um e mesmo que seja um favelado e o outro rico e com condições melhores pra se desenvolver melhor individualmente".

Enfim... não sei se me embananei. É um assunto que me deixa com uma série de dúvidas ainda. Mas o fato é que muita coisa tem que mudar na educação brasileira. E como futuro profissional de educação anseio por isso mais que tudo...

Abraços
.

http://solucomental.blogspot.com

Willian Vailate - O Rockeiro Canoinhense disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vanda disse...

Amiga... indiquei selinho pra vc


Beijão



http://planetadablogueira.blogspot.com/

Heber disse...

"Forma legalizada de preconceioto" Foi, até então, a melhor definiçãoq ue eu ja li a respeito das cotas raciais. Não há o que opinar.

╬ Nothing has sense ╬ Felipesfr disse...

pois é..
assunto polêmico esse..

sabe.. eu concordo contigo!

eu ganhei uma vaga do proUni em uma universidade, foi muito bom e talz, mas é o seguinte.. cai numa cidade de fim de mundo.. porque o lugar a onde poderia passar (e passei).. fui cortado para um negro entrar. Tipo.. felicidade para ele.. não creio que seja preconceituoso.. mas é preconceito... reservar cotas para negros..

eles são inferiores? não sabem pensar?
concordo contigo plenamente...

perfeito...

Café Debate disse...

oi!

visitem meu blog também:

http://cafedebate.wordpress.com

Inez disse...

´Parabéns pelo texto. Os negros tem a mesma capacidade que qualquer branco. Esse sistema de cotas só serve para aumentar o preconceito e como você colocou serve para institucionalizar o preconceito.
As cotas para escola pública é um reconhecimento do governo que a educação na escola pública tá uma me...

Inez disse...

Passa no meu blog que tem um selinho pra você.
http://inezpsi.blogspot.com

Zinha Santos disse...

O pior nem eh isso... Eh que muita gente branca se diz pardo pra concorrer às cotas... dando assim o seu próprio atestado de burrice, tentando se garantir com uma vaga que não seria pra ele. Isso de cota é uma idiotice e mais uma vez vem rebaixar o povo negro, na tentativa de facilitar as coisas, acaba é separando esse pessoal e aumentando ainda mais o preconceito e incentivando os outros a curtirem com a cara das pessoas "ah, o negrinho só passou por causa das cotas"... pelo amor de Deus!!
Na verdade eu acho que se houvesse boa educação pública, muitas pessoas não escreveriam errado, não se comportariam errado e talvez até não existisse vestibular. Eu acho que o ensino superior deveria ser como a escola, mas assim, se perde na matéria, repete.
Mas isso é Brasil... cagando a cada tentativa de acerto!
Bjoooooooooooo!!

Mauro Oliveira disse...

Eu sou negro, mais não concordo com as cotas. Passei no vestibular agora e não precisei delas. até por que estudei em escola particular. Eu acredito que os negros não tem as mesmas oportunidades que os brancos, a maioria negra vive em condições miseráveis, e não pode só estudar precisam estudar e trabalhar,mais as cotas não vão resolver as coisas por aqui.
O que é preciso mesmo é ensino público de qualidade, e não colocar 50% das vagas nas universidades para negros. Isso é segregação, e estúpidez dos governantes querendo agradar a população.
ótimo post o seu!

Postar um comentário

Escrevo o que quero, sem medo de ouvir o que não quero.