"Favela não é problema, é solução. (?)"

É, a correria da vida moderna ta me deixando louca. Acabou a mordomia de aluna do Ensino Médio (é, meu caro estudante de Ensino Médio, você tem a vida boa ainda! – repare que eu disse AINDA.), agora é estudar, trabalhar, estudar, trabalhar, namorar rs. Quantas coisas aconteceram nesse período que estive fora do blog né? QUANTAS COISAS! Seja politicamente, socialmente, internacionalmente. E eu aqui sem ter tempo para parar e escrever para dar a minha OpiniãoInútil! Mas tem hora que o saco não agüenta e tenho que colocar a boca no trombone, ou melhor, os dedos no teclado (nossa, esse trocadilho foi horrível, eu sei!). 

Pensando no que eu poderia escrever resolvi escolher um tema atual, que comoveu todos ...




219 mortos

161 feridos

11562 desabrigados



10,3 milhões de moradores atingidos


22 municípios afetados



São os dados oficiais e finais da tragédia do Rio de Janeiro. 

E aí, de quem é a culpa? É mais fácil falar que a natureza está castigando né? É sempre mais fácil transferir a culpa do que olhar para si mesmo. Quem lê meu blog já deve ter percebido que eu ODEIO analisar as coisas superficialmente, gosto sempre de ir mais fundo, ir além do censo comum. 

Então vamos lá. 

Você há de concordar que não é possível que ninguém nunca tenha visto casas sendo construídas no morro né? Se as pessoas sabem que é perigoso, porque vai pra lá? “Porque são pobres e não tem outro lugar pra morar”, tudo bem digamos que eu vou concordar por hora com essa opinião. Se os políticos estão LÁ para zelar pelo bem da nação, porque permitem que sejam construídas tais moradias? 

Alguém aí já ouviu aquela frase: “Favela não é problema, é solução”? O Autor dessa “tese” é Darcy Ribeiro, vice do ex governador Leonal Brizola (anos 80 – se não estou enganada) e sempre foi proclamada por populistas. Solução? Como assim solução? Pense comigo: O pobre quer o que? Lugar pra morar e dinheiro. O político quer o que? Voto. Juntando os dois surgem às favelas, simples assim. Nas favelas é que os políticos mantêm os seus currais eleitorais, oferecem uma casa pra morar (se é que aquilo pode se chamar de casa), bolsa família, auxílio gás e pronto! Você sabia que 13 dos 51 integrantes da Câmara dos Vereadores e 21 dos 70 deputados mantêm centros sociais em favelas? E você acha que eles estão lá para que finalidade? CONQUISTAR VOTOS, meus caros! Porque ao invés disso cada um dos deputados e vereadores doam 5% de tudo que ganham para essas famílias morarem em outro lugar? Não precisa ser em Copacabana, mas que seja em um bairro fora de perigo de deslizamento. 

Cadê o PAC para retirar essas pessoas das favelas? “Ah, o PAC é um sucesso e já está em andamento”, é? Quantas obras estão concluídas? Ou melhor, quantas obras NÃO estão concluídas? Quantas obras não estão embargadas por superfaturamento? (E ainda querem lançar o PAC II ...). O único objetivo que eu vejo nesse tal PAC da minha [ironia] tão amada [/ironia]  Dilma Rousseff é se eleger politicamente (O que eu TORÇO para que não aconteça!). O que mais me deixa *&%$ da vida é que tem gente que acredita que o PAC está mesmo dando resultado.


“O fenômeno da favelização do Rio é conseqüência do relaxamento moral e jurídico”, diz o sociólogo Bolívar Lamounier.

Não estou culpando o presidente Lula diretamente, mas TODOS os políticos que já passaram pelo Brasil, porque esse não é um problema de agora, mas sim antigo, muito antigo. Entretanto poderia ser reduzido se as autoridades de HOJE não mais incentivasse as pessoas a morar em cima de uma bomba-relógio em troca de favores eleitorais.

As pessoas hoje em dia só sabem os seus deveres e não conhecem os seus direitos.

Solução? Educação para o povo exigir os seus direito como cidadãos.

Agora eu te pergunto: É o que os políticos querem? Lógico que não, é mais fácil controlar um povo BURRO. A famosa e tão conhecida política do pão e circo!


17 comentários:

War Inside My Head disse...

Ola Amanda, muito obrigado pelo comentario no meu Blog!
Aqui vai o significado da palavra Rócio
Substantivo
Singular Plural
Masculino rocío
ro.cí.o rocíos
ro.cí.os

ro.cí.o masculino

1. orvalho, rocio, sereno.

Vanda disse...

Amiga, você faz falta nos blogs, aqui na blogosfera!! Seus temas são bons, excelentes mesmo, dê mais o ar da sua graça =)))

Adorei que vc me add no dihitt, quanto mais divulgar seus links, mais amigos fará aqui nos blogs!!

Beijão

Julianderson Rossoni disse...

Oi, adicionei seu blog aos meus favoritos, esperei um mês por uma atualização pra tentar um contato ahsuahsu
Meu blog nao tem um banner ainda, nao sei como fazer.
Você tem uma visão bem ampla sobre os temas que fala, legal isso!
Conheço pessoas que acabaram de sair do ensino médio sem nem saber pensar por conta própria.

Diogo D. disse...

Anaaanda!!! Parabéns pelo seu blog!!! Amei mesmo, vc é super inteligente.. tb né... Estudou comigo!! rsrsrsrs... Seus temas são realmente muito legais!!!

BeijoO.

Nilson Vellazquez disse...

O PAC tá dando certo, sim. Recuperou o papel do Estado nos investimentos públicos-socias. Quanto às favelas, a proposta não é acabar com favela, que é resultado do desordenado crescimento das cidades, da abolição da escravatura mal feita que tivemos no Brasil. Devemos, sim, melhorar a vida do povo que está nas favelas, para que eles tenham o minimo de dignidade.

Reginaldo disse...

muio bom seu pensamento!!!

Brenda Manzoli disse...

Pois é Ananda,esse é um problema,digamos que secular.Infelizmente,nós brasileiros somos ''burros'', isso mesmo,''burros''!A culpa é nossa,pois votamos naqueles ladrões que estão nos dando esmolas hoje,devemos exigir o nosso direito,lutar por eles.Reclamar não basta,devemos pensar e agir calmamente para conseguirmos contornar essa situação.

Yuri disse...

fiz um trabalho na facul sobre td isso q vc disse! E concordo com vc sobre a ressaca de ensino medio

As polemicas disse...

Bom.. antes de conhecer uma favela de perto eu tambem pensava que no caso seria por falta de opção de moradia !! Mas muitos dos casos acredite que por motivos de não pagar água, luz e condominio , virou opção para muitas pessoas !! No começo algumas compraram seu barraquinho e logo depois foram constrindo quartos, salas e acredite tem pessoas que possuim mais televisores de alta tecnologia , geladeiras e empregadas domestica nesse famoso MORRO !! ... ALGUMAS PESSOAS MUITO POBRES CHEIAS DE DIVIDAS E MUITAS ACOMODADAS.. enfim o ser humano se acostuma muito facil com aquilo que é colocado em sua frente. O que é mais facil comprar uma casa ou fazer um puxadinho??
>> http://as-polemicas.blogspot.com <<

Anônimo disse...

Favela é problema
reestatização é problema
aparelhamento do estado é problema

Educação e mentalidade um pouco mais aberta é a solução. Favela só é solução para quem quer manter o povo estagnado e sem oportunidades além de segregado num gueto onde o normal é o informal

Com a lógica dos ditos intelectuais que proclamam Cuba como o Santo Graal mas o que gostam é ficar grande parte do ano sentados em cafés de paris tomando um capucino e lendo um bom livro é fácil contatar que realmente estamos bem perto do primeiro mundo.

Bianca disse...

Parabéns pelo blog! Jovens politizados e opinantes é que precisamos para mudar a "cara" deste país.

asianteenager disse...

Hello my friend, Your site is great, good job you do.

I also created many blogs but not good like yours,So please


could you exchange link with me?

Here are my blogs. you could choose to exchange ,

http://khmernewstoday.blogspot.com/

http://www.khmergay.net/

Anônimo disse...

Sugiro que você leia antes a obra de Darcy Ribeiro. Antes de ser político ele era um grande conhecedor da história da formaçao desse país. E essa frase faz todo o sentido com a lógica que ele sempre defendeu. Pesquisando você vai ver também que ele fez muito por aquilo que julga ser o mais importante para o país: educaçao. Seu texto, infelizmente contrário aos seus desejos, foi bastante superficial.

Thais Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thais Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thais Santos disse...

Não podemos generalizar. Favelas não são apenas morros, e sim, muitos vão por falta de opção.

Favela integrada com a cidade. Essa é a solução. Claro, isso não soluciona tudo, até porque há novos desafios, como o tráfico de drogas. Mas alguns dos grandes problemas que temos nas favelas - lixo, infraestrutura, empregos e segurança - nós podemos resolver.

O primeiro é o lixo. Quantas pessoas têm morrido soterradas nos morros e em inúmeras favelas no mundo inteiro? Por que as pessoas são obrigadas a jogar tanto lixo perto das próprias casas? Porque o acesso dos caminhões que fazem a coleta não é fácil, já que as favelas estão geralmente em morros ou em fundos de vale. Em 1989, na Prefeitura de Curitiba, criamos um programa que comprava o lixo da favela. O que aconteceu? Em vez de jogar fora, os moradores coletavam o lixo, que era trocado por vale-transporte. Não se tratava de um ato paternalista, já que, se não fizéssemos isso, teríamos de pagar pela coleta de qualquer maneira. Em poucos meses, todas as favelas estavam limpas, e as famílias tinham uma renda a mais. Problema resolvido.

A segunda questão é a infraestrutura: levar água, esgoto e energia. Pelo menos em se tratando de energia e água, a tendência é mexer no terreno. Sempre fui contrário a essa solução porque pode haver deslizamento. Defendo a ideia de levar água e energia através do corrimão das escadarias. Dessa maneira, é possível realizar o abastecimento de água da maneira mais prática para cada casa: pela janela, pelo teto, por onde for mais fácil. Idem em relação à energia elétrica: leva-se a estrutura básica pelo corrimão. E o esgoto nós podemos coletar da mesma maneira, pelo canto das escadarias.

Terceiro problema: como gerar empregos? Zonas francas. Ou seja, quem montasse uma pequena fábrica ou serviço e contratasse moradores locais não pagaria impostos. Assim faríamos com que o tráfico deixasse de ser a única alternativa de boa parte das pessoas. Com isso, aumentam as chances de, pouco a pouco, levar escolas e creches de qualidade até lá. Motivados pelas melhorias em volta, os moradores acabam investindo em reformas nas próprias casas. E aí entra a necessidade de outras soluções: financiar material de construção e dar suporte legal para que as pessoas regularizem a área em que vivem.

A melhora das condições diminui a sensação de "gueto", que torna a coexistência muito difícil porque o seu vizinho acaba virando inimigo. E a atual tendência é justamente criar "guetos" - tanto de gente muito rica quanto de gente muito pobre - cada vez mais afastados da malha urbana. E há vazios urbanos que podem ser perfeitamente ocupados por uma vizinhança diversificada. Uma das coisas de que eu mais gosto na minha cidade, Curitiba, é que 80% da população vive em vizinhanças diversificadas, gente de toda faixa de renda. Não no mesmo prédio, mas próximas. Isso é uma coisa sadia, que acontece nas boas cidades do mundo. Prefiro a favela mais integrada à cidade que o conjunto habitacional muito afastado. O custo de melhorar a qualidade de vida passa a ser menor do que levar a 40 km, 50 km de distância a infra-estrutura para que um conjunto habitacional enorme se estabeleça em uma determinada região metropolitana.

Por outro lado, é preciso conter o avanço das favelas. Para isso devemos oferecer alternativas mais rápidas. Terra acessível, financiamento para construção, autoconstrução. A favela é inevitável no momento em que não há alternativa. O governo tem de oferecer transporte público, saúde e educação de qualidade. Atendidas essas demandas, a tendência é melhorar.

A criatividade começa quando se corta um zero do orçamento. A sustentabilidade, quando se cortam dois zeros. E a qualidade de vida começa quando você é rápido em achar soluções.
JAIME LERNER ARQUITETO URBANISTA E EX PREFEITO DE CURITIBA.

Anônimo disse...

Show, mas como assim "censo comum"?

Postar um comentário

Escrevo o que quero, sem medo de ouvir o que não quero.