Valores

Nossa busca desesperada por culpados pelo que acontece é tamanha que esquecemos de olhar para nós mesmos e enxergar o que fazemos para mudar ou contribuir com tudo isso.

Não adianta colocar culpa no governo, no sistema econômico em que vivemos, na falta de emprego e até mesmo nos jovens. Isso não é os maiores responsáveis pelo que acontece, cada um de nós temos nossa parcela de culpa. Sei que você não concorda porque é muito mais fácil transferir a culpa do que admitir que seja culpado, mas acredite que a cada atitude sua com qualquer pessoa terá uma conseqüência boa ou ruim.

Então porque não falarmos de Valores Familiares?

Jovens matando/espancando seus pais, avós. Pais matando/espancando seus filhos.

Exemplos é que não nos falta. Não vale a pena citar nomes e ou casos, porque são inúmeros.
Claro que sempre nos lembramos dos “clássicos” porque a mídia expôs e muita das vezes achamos que são só aqueles e nos enganamos, porque são só aqueles que a mídia resolve dar atenção e não são só os que acontece.

Vamos começar com uma comparação, entre os valores modernos e os antigos.
Antes os filhos tinham uma relação de respeito com os pais usando termos como: senhor e senhora. Hoje raramente ouço algum dos meus amigos chamarem seus pais desta forma. Essa informalidade ao se referir aos pais trouxe uma relação mais de amizade entre os mesmos, mas em contrapartida retirou uma parcela do respeito.

O tempo passa, o mundo cresce e as coisas mudam. Pessoas ficam cada vez mais sem tempo em busca sempre do objetivo de qualquer ser humano: dinheiro. Quem sofre com essa ambição desesperada por dinheiro são os filhos, que ficam sem atenção, carinho e acabam recorrendo a drogas, bebidas alcoólicas e sexo.

A novela de cada dia, o telefonema daquele executivo é mais relevante do que saber o que seus filhos estão fazendo?

Não estou condenando a busca pelo dinheiro, seria hipocrisia da minha parte, mas estou tentando mostrar para onde essa ambição está levando a humanidade.

Não vivi antes que 1992, mas sei que existia reuniões de jovens para bebedeira, sexo e drogas. Porém a imprensa não dava muita importância para isso e as reuniões eram, além de escondida, de poucas pessoas. Hoje em dia as reuniões de jovens possuem isso tudo, mas com a diferença que a mídia da certa importância, as reuniões são públicas e que são muito mais jovens. A mídia só da importância para mostrar o que acontece de ruim em um baile Funk, Rave e outra qualquer festa que envolva jovens. Claro, ninguém está sentado na frente da televisão pra saber se um baile Funk acabou sem brigas, morte. Fazendo levar os telespectadores a pensarem que só o que tem nesses lugares são sexo, drogas e bebida alcoólica.

Isso se encontra em qualquer lugar a qualquer hora.

Quando um adolescente entra em coma alcoólico ou overdose, os pais dão esporro e a sociedade critica. Ninguém se preocupa em saber o que levou aquele jovem a fazer isso.
Pode ter sido a presença ausente dos pais.

A internet é um dos fatores contribuintes para a desunião familiar. Antes não existia e as famílias eram mais unidas. Porém o que seria de nosso nível de informação se não fosse à internet? Contaríamos apenas com o que nos passa pela televisão? Sendo que a televisão passa aquilo que é mais interessante passar e não a verdade por completo.

A tendência do mundo é se globalizar e isso está levando as famílias a se destruturarem. Existirão os pais, os filhos, tios, avós e todos os membros que compõe uma família, porém o que é mais importante não existirá: união.

A família, um bem tão precioso, está se dissolvendo. Seus valores estão se perdendo em meio à “corrida capitalista”.

Tomara que esteja enganada e que isso mude.

Se existir um meio termo entre os valores atuais e os antigos, quem sabe assim um dia algum dia esse meu texto não passará de um mito.

8 comentários:

Mentalmorfose disse...

mto bom o texto.

na minha opinião, antes de sair por ai querendo "mudar o mundo" e talz, é preciso que essa tal mudança ocorra de dentro p/ fora. (ou seja... 1º nós temos q mudar, p/ dpois mudar os outros)

infelizmente, a cada dia que passa, as familias dão mais um passo rumo a desunião.
Esse nosso mundo eh mto individualista e capitalista!

e tv eh midia distorcidaa!


bjs,
Ana

Tony Prado disse...

Acredito que, acima de tudo, o que falta aos jovens de hoje é disciplina. Não estou sendo antiquado ao afirmar isso, não. Afinal, você pode perceber isso se trouxer o problema mais perto de você – o quê, numa sociedade como a nossa, não é muito difícil. Durante décadas vimos que o liberalismo faz mal ao ser humano. Ele precisa de rédeas. Não estou falando de opressão, mas de autoridade. Dos outros para ele, dele para ele mesmo e dele para os outros. Isso cria uma cadeia sufocante? De modo nenhum. Amplia ainda mais a noção de que a liberdade – não a libertinagem; isso é um nível doentio da liberdade que muitas vezes leva à morte – é um bem próprio que termina quando o do outro começa. Ainda chamo os mais velhos de “senhor”, “senhora”, “seu” e “dona”. Nunca me referi, por exemplo, à minha mãe e meus avós no termo “você” – até porquê se eu fizer isso acabo na pior! Mas eu vejo que isso é bom, porquê têm pessoas do lado de fora do âmbito familiar que gostam de serem chamadas assim. E, deste modo, você propaga um respeito que com o passar dos anos vem sendo tão esquecido. Muito bom texto. Abraço.

A'ZaF disse...

Lendo o post encontrei algumas coisas que discordo e outras que concordo...

Sobre os bailes funk, sim eles foram muito marginalizados e agora sempre são lembrados no sentido perjorativo. Por que será? Será que eles não deram nenhum motivo? Claro que alguns (muito poucos) bailes podem ocorrer sem birgas, sem morte, sem drogas e sem sexo...mas são uma minoria então não adianta ir contra tudo e todos para defender uma idéia que erra em alguns pontos. Isso acontece não só com bailes funk mas com a maioria das coisas, alguns podem se salvar no entanto quando isso aocntece com a maioria não tem como dizer o contrário.

Internet e desunião familiar, tá certo que pode até acontecer mas eu discorodo totalmente...antes da internet as famílias eram mais unidas (?), então hoje a culpa é dela por pais beberem demais, mãe espancarem os filhos, filhos dse drogarem e por aí vai...acho que isso é só uma forma de mascarar a verdade. Claro que a internet pode ter contribuído para isso mas apenas para pessoas influenciáveis, e isto significa que se não fosse a internet seria a TV o rádio ou qualquer outra coisa. Não adianta culpar terceiros pelas falhas de segundos ou primeiros. Se acontece a desunião familiar é porque os pais não souberam educar e se aproximar dos filhos, é porque são inexperientes e taltez egoístas preferindo se alienar em outros mundos (não propriamente o da internet) do que ter lazer com a família...não só das partes dos pais como a dos filhos, ambos estão envolvido, mas os pais que deveriam ser responsáveis têm maior peso nisso.

E sobre valores, bom eu sempre discuti muito com minha professora de filosofia/sociologia (era a mesma professora rsrs) sobre valores antigos e atuais, eu penso que EU devo satisfação apenas aos meus pais pelo fato de eles pagarem minhas contas, fora isso quem é independente não deve satisfação a ninguém e logo não precisa ficar preso aos valores IMPOSTOS pela sociedade apenas para "parecer" igual a todos e digno dos demais. Alguns valores são eternos [amor, honestidade, blábláblá], mas isso vai de cada um para cada um, devemos seguir o que acreditamos e não o que querem que acreditemos. Do que adianta seguir antigos valores ou mesmo os novos se não acreditamos neles?


Putz, acho que escrevi(teclei) demais aqui rsrs... mas é que sou (meio)revoltado com alguns temas assim e seu blog faz pensar e refletir sobre o assunto. Abraço

http://paranoiaelucidez.blogspot.com/

Angela disse...

Realmente a mídia distorce as coisas mas todos nos as vezes também distorcemos e para saber a verdade temos sempre que tentar ver todos os lados da noticia!! Os valores também se distorceram e acho que não se tem como achar o culpado as pessoas de hoje são um reflexo de suas historias passadas!! É triste mas é a verdade..

Sayonara disse...

Também adoraria que houvesse mudanças na sociedade, no modo de agir, mas daqui pra frente isso se torna cada vez mais uma utopia... infelizmente.

Isa Mangelli º disse...

Concordo com você quando diz que a união familiar está cada vez mais rara de se encontrar. As familias hoje podem ser chamdas de 'fami-ilhas', ou seja, cada um na sua ilha particular, no seu individualismo. As vezes nós sabemos o que acontece do outro lado do mundo, mas não sabemos o que se passa no coração do nosso irmão que está no quarto do lado. Isso é desunião. É o que as novelas ensinam, é o que os programas de TV influenciam e ensinam, é o que os jornais publicam. Tudo virou 'normal'.

Não existe mais limites nessa terra sem lei que vivemos. Matar é normal, a culpa é da educação, como muitos dizem. A culpa como sempre recai nos menos favorecidos. Eu particularmente acredito que os avanços que o mundo no oferece, como tecnologia, informação demasiada o tempo todo, celular, televisão e etc são os grandes culpados. Somos vigiados e manipulados e influenciados o tempo inteiro. Tudo que vemos, presenciamos, convivemos, comunicamos e aprendemos nos influenciam, é natural. O problema é que essa influência quase sempre é maléfica. Corrói nosso carácter, destrói nossas esperanças, e mancha a nossa educação. Na boa, penso que tudo isso é falta de Deus.

Adoro seus escritos,
continue assim, você vai longe menina.

Beijoss!

Ms. Molly Bloom disse...

estou adorando esses textos. parabéns.

Anônimo disse...

parabéns, isso esta me ajudando muito

Postar um comentário

Escrevo o que quero, sem medo de ouvir o que não quero.