Inclusão Social

Os superiores querem que nós sigamos a tal da Constituição, mas eles mesmos não seguem. Vejamos o exemplo das cotas, no artigo 5° da Constituição se diz o seguinte: “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza (...)”. Engraçado é que as cotas fazem valer justamente o oposto a esse artigo.

Se as cotas são feitas para diminuir as diferenças entre as pessoas, então vamos lutar por cotas para pessoas menos favorecidas em altura, com um teor de massa corporal acima do normal e para pessoa com cérebro deficiente (popularmente conhecida por loira). Nada mais justo, essas três classes da sociedade sofrem tanto preconceito são até motivos de piadas maldosas.

Quero deixar bem claro, antes que alguém queira me processar, que não estou sendo a favor do preconceito só estou colocando em debate a Inclusão Social.

Cotas é sinônimo de preconceito. Por quê? Vejamos, se você é negro e ou estudante de escola pública tem uma capacidade menor do que outra pessoa de passar em uma universidade. “O ensino da escola pública é precário”, não estou discordando disso, mas se uma pessoa é boa de verdade ela vai passar em uma universidade sem precisar de cotas. Exemplos não faltam, um amigo meu estudo a vida toda em uma escola pública e passou para Medicina em uma federal, assisti na televisão outro dia que um morador de rua ia todos os dias a biblioteca estudar e passou em um concurso.

De que adianta você conseguir entrar numa universidade se não consegue permanecer na mesma? Muitas pessoas conseguem, mas poucas ficam até o fim. Mais uma prova de que de nada adianta criar cotas, mas não dar uma base para que a pessoa consiga permanecer no curso que escolheu. Enquanto isso a vaga de alguém desceu pelo ralo.

Lógico que para o governo é muito mais prático mostrar que está fazendo algo pelos desfavorecidos do que tomar alguma atitude concreta e gastar muito, porque aí os desfavorecidos serão eles: terá menos dinheiro para eles embolsar.

12 comentários:

Diogo de Castro disse...

Estou totalmente de acordo!

dankar disse...

interessante...
http://www.equipeinfortunio.blogspot.com/

Móó legal disse...

deve tá estudando pro vestibular , né!?
sei como eh...passei por isso ano passado e pensava da mesma forma...
mas relaxa, se eu passei tu passa!
aUEHuaheuHAEUHAeuhaUEHUAheuHAEUHA

--
www.moolegal.wordpress.com

Thai :* disse...

Eu concordo totalmente com o que você disse, e acrescentaria um ponto: a desculpa que o governo dá para esse sistema de cotas é que ele é compensatório, que existe para compensar os anos de escravatura, mas não seira melhor compensar com ensino público de qualidade, fornecendo uma base de conhecimento igualitária?

Gostei muito do jeito que você escreve, parabéns :)

Nilson Vellazquez disse...

favoritei teu blog...

Lucas Sepúlveda disse...

Se não existisse as cotas, o sistema de ensino associado ao vestibular ainda seria injusto. Infelizmente, foi o único jeito que o governo encontrou de "suavizar" a diferença e a desigualdade do ensino no país.

O sistema de cotas é injusto, mas também existe o outro lado da estória.

http://quartodealuguel.blogspot.com

Tiago Ferminiano disse...

ae
legal o texto
=D

beijos


e odeio o natal também!!

Danna disse...

Primeiramente, obrigada pelo comentário no meu blog!
Indo ao assunto:Estou de acordo com você, acho que deveria acontecer uma revolução da educação, uma atenção maior, assim ninguém iria precisar de cotas.

Filipe Ferminiano disse...

"...se uma pessoa é boa de verdade ela vai passar em uma universidade sem precisar de cotas."

O problema é que é raro achar pessoas boas e que queiram estudar do jeito que as coisas estão

...estou de acordo com o que você disse

www.filipeferminiano.com

Anônimo disse...

"O problema é que é raro achar pessoas boas e que queiram estudar do jeito que as coisas estão"

Realmente, Isto é um problema, mas uma pessoa que quer vencer na vida, estuda em qualquer situação.

Liipee disse...

@concordo em alguns aspectos..
acho tá certa..
e só parará de existir cotas quando os políticos verem o mundo como tá realmente , e sem fazer vista grossa..
e criarem vergonha e investirem em educação..
mas infelizmente, irei fazer vestibular pra MEDICINA em categoria de escola pública.Cabe apenas a mim tentar me formar, viver, e salvar pessoas, sem levar o lado pessoal ou financeiro!

abraço !

Ms. Molly Bloom disse...

http://opniaoinutil.blogspot.com/

Postar um comentário

Escrevo o que quero, sem medo de ouvir o que não quero.