Alienação vulgo Escravidão Mental

Quem disse que precisa ser magra pra ser bonita? Quem disse que precisa ser alta pra ser bonita? Quem disse que precisa ser musculoso pra ser bonito?
Seria muita hipocrisia da minha parte se escrevesse que eu não me importo com a beleza física, é claro que eu me importo. Todos se importam. Não adianta falar que “o que importa é a beleza interior da pessoa”, me da até vontade de rir quando ouço alguém falando isso.
Quem disse que se você usar uma camisa laranja fluorescente e uma calça xadrez, você está fora de moda? O que é moda?
“Aquilo que está em tendência nas passarelas.” E daí que está em tendência nas passarelas? As ruas não são passarelas e vemos pessoas “na moda”.
Não, eu não sigo moda eu uso aquilo que eu quero independente do que vão achar de mim.
Sabe porque somos assim? Porque nos importa tanto a beleza externa de alguém? Porque olhamos torto quando vemos alguém com uma roupa que está fora de moda?
Porque a sociedade nos impõe isso. Ela dita que para o homem ser bonito ele tem que ser sarado, com dinheiro e carro. Ela dita que para a mulher ser bonita ela tem que ser magra, alta e com “bundão”. Ela dita que no outono e inverno tal roupa e cor se deve usar, que na primavera e verão tal cor e roupa se deve usar. Ela dita que para você deve saber inglês fluentemente. Que Engenharia é O curso e Pedagogia não é nada.
Sabe como se chama isso?
Alienação. Somos todos submissos, escravos ao que a sociedade fala ser o melhor.
E essa escravidão mental leva as pessoas a fazerem coisas absurdas, como tomar detergente para vomitar tudo o que comer e assim manter-se magra, dietas malucas para emagrecer, tomar bombas para “bombar com seus músculos por aí”, a brigar – e em casos extremos até bater - nos pais que não tem dinheiro para uma roupa da moda.
Eu sou uma pessoa escrava de certas regras da sociedade e não consigo ver um mundo não-alianado. Você consegue?

10 comentários:

Bruna disse...

e infelizmente essa é realidade e todos nós todos mesmo somos escravos de alguma coisa. eu todo dia tento aprestar a atenção nas coisas que faço e quero para pelo menos não me acabar por causa de certas modas....

Mateus disse...

Sou meio alienado.
Vivo no meu mundo particular e dificilmente o que se passa na televisão me afeta.
Viramos escravos de nós mesmos, impomos as regras que nem mesmo queremos cumprir.

Juliana Valério disse...

é a sociedade néh?concordo totalmente..só porque eu uso roupa que eu qro o povo fala que não sigo moda,sabe de uma coisa? moda é cada um que faz,eu msm faço a minha e todos deveriam ser assim,porque ai não ia ter tantas pessoas comprando as mesmas roupas só mundando de cor,porque o modelo é o msm..
odeio coisa do tipo..muito bom o post'parabéns!

comenta de volta?
http://juliana-valerio.blogspot.com

Ellen Regina - facetasdemim disse...

concordo em parte com vc, mas o que diz q engenharia é tudo e pedagogia não é nada é a eterna lei da oferta de procura. Muitos pedagogos, poucos engenheiros.

Juliana Valério disse...

muito obrigada por passar no meu blog,estou fazendo novos post ve si passa lá mais vezes,espero que goste..
e post mais vezes aqui tbm..gostei muito do seu ultimo blog!


comenta de volta?
http://juliana-valerio.blogspot.com

Lucas M. disse...

somos todos alienados,fator importante?
A opinião
Essa é q mata

Andre disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Andre disse...

É verdade, todo mundo é alienado em maior ou menor grau. O negócio é manter bom senso e saber definir o que realmente importa.

Muito bons os textos. Parabéns pelo blog!

Anônimo disse...

Obrigado por Blog intiresny

Anônimo disse...

engraçado, esse post é bastante velho, mas irei comentar;
eu tenho um professor chamado Marques. Ele leciona geometria para mim no meu colégio e, diferente de todos, ele não segue o pensamento de ninguém: não assiste televisão, usa celular, mexe no computador, nada. Nada que possua telinhas.
Ele é um homem muito sábio e presto atenção em excepcionalmente tudo em que ele tem a me dizer. Diz ele que as pessoas pararam de gostar de pensar e se tornaram completas mulas do capitalismo.
Eu vivi dois meses sem assistir televisão: foram os dois meses mais esclarecedores que tive na minha vida.
A propósito: não há nenhum problema em relação a pegar um filme e assistir por sua própria conta, só não pode ligar a televisão por nada e ASSISTIR (cuidado com essa palavra).

Postar um comentário

Escrevo o que quero, sem medo de ouvir o que não quero.